sexta-feira, 26 de junho de 2015

Espelho, espelho meu

" O rosto dela,  à luz do luar,  era o rosto do marinheiro que tinha lutado contra mares tempestuosos em seu barco frágil e havia finalmente alcançado águas  tranquilas"(pag.168)

WEIS,  Margaret. Dragões  do Outono. São  Paulo: Devir,  2003.

sábado, 20 de junho de 2015

Tornar

Eu queria estar mais poética
Mas a cabeça pesa
Do corpo que abriga a batalha
Diária
Quase venço
Lá e cá vou vivendo
Na corda bamba
Do tornar-se
Mãos que tremem
E não apontam
O que está por vir
Espero e resisto
Na esperança de

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Vida adulta

Vejo rostos apreensivos
Mulheres de olhos tristes
Homens atordoados
O mundo pesando
nas costas de todos e
de cada um
Espelho  da crise
Espelho de mim

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Vomito

Teu brilho me ofusca
Fico, assim, hipnotizada
Sem ação
Sem reação
Parada, estática
E fora, perdida
.
.
Precisando urgentemente de ocupação pra mente e pro corpo, simultaneamente, se possível, de preferência.

domingo, 7 de junho de 2015

I have a dream

Eu tenho um sonho
Ficar boa e forte
E amar melhor

terça-feira, 26 de maio de 2015

Dai-me paz

Para a loucura que me acompanha,
Eu grito:
Tudo passa! Tudo passa!
.
.
Eu gosto.
De ousadia?
Não, de alho.


domingo, 24 de maio de 2015

De mãe para Cássia

Do documentário sobre a Cássia Eller.

- Mãe, eu não mereço ser sua filha.
- Merece sim, filha. Eu que não mereço ser sua mãe, que você é tão especial.
- Não, mãe, você me aceitou antes que eu aceitasse.
- Ah, sobre o que você está falando?
- Sobre mim e a Eugênia.
- Minha filha, o tamanho do amor que eu sinto por você...Porque quando a gente ama não existe cobrança, e eu te amo do jeito que você é.
.
.
Lenços, por favor :’) *buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa*